Consumo de energia aumenta 1,4% no primeiro semestre, aponta CCEE

Raquel Fanci Por Raquel Fanci

O consumo de energia elétrica aumentou 1,4% no Brasil durante o primeiro semestre de 2022, em comparação com o mesmo período do ano passado.

A informação é da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

O órgão aponta que, no período, foram consumidos 66.028 megawatts médios, um crescimento impulsionado pela recuperação de importantes setores econômicos, como bebidas, alimentos e serviços, além do bom momento para as exportações.

A alta foi puxada pelo crescimento de 6,6% registrado no mercado livre, ambiente no qual há fornecimento de energia para a indústria e para grandes consumidores, como shoppings centers e grandes redes varejistas.

Essa modalidade foi responsável por 35,5% da demanda energética nos seis primeiros meses do ano.

O ambiente regulado, no entanto, apresentou um recuou de 1,3% no comparativo do mesmo período.

A CCEE aponta, como razões para a queda, a migração de consumidores para o mercado livre e o aumento de instalações de sistemas de micro e minigeração distribuída. Isto é: painéis solares instalados em residências e empresas.

Em uma análise que desconsidere a migração de modalidades de consumo, o ambiente regulado apresentaria alta de 0,4%, de acordo com a câmara, contra 2,9% do livre.

No semestre, como já havia sido antecipado pela CNN, o ramo com maior aumento proporcional de consumo foi o de madeira, papel e celulose: 15,8%, por conta do aumento de demanda provocado pela guerra na Ucrânia.

A indústria têxtil, com retração de 4,5%, foi o segmento que apresentou a maior queda no período.

Ao todo, oito dos 26 unidades da federação que integram o Sistema Interligado Nacional (SIN), apresentaram queda no consumo de energia no período analisado.

Esse é o caso de Amazonas, Amapá, Pará, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Rio de Janeiro, estados distribuídos em três regiões do país.

“Nos locais onde houve redução, a CCEE observou maiores quantidades de chuvas e temperaturas mais amenas, que levaram a um menor uso de aparelhos como ar-condicionado e, consequentemente, a uma redução de demanda por energia”, diz um trecho do relatório de consumo.

Os estados onde houve maior aumento de utilização de energia elétrica no semestre foram: Rondônia (10%), Mato Grosso (8%) e Santa Catarina (4%).

Compartilhe esse Artigo
Deixe um Comentário